Faça uma doação para a Esquerda Marxista - CLIQUE AQUI

11 de julho de 2010

OS MARXISTAS E AS ELEIÇÕES DE OUTUBRO 2010

O objetivo imediato dos comunistas é o mesmo que o de todos os demais partidos proletários: constituição dos proletários em classe, derrubada da supremacia burguesa, conquista do poder político pelo proletariado”. 
(Manifesto Comunista, 1848)

Passados mais de 160 anos, a burguesia continua sendo a classe dominante no mundo e, portanto também no Brasil. As eleições “democráticas” continuam sendo um meio onde geralmente se troca seis por meia dúzia e a burguesia continua mandando. Mas servem também para os trabalhadores se eduquem enquanto classe, para que flexionem seus músculos na luta pela tomada do poder, serve para conquistar trincheiras para a luta.

Os trabalhadores elegeram Lula em 2002 e o reelegeram em 2006 com o objetivo de tomar o poder e abrir caminho para satisfação de suas reivindicações, para o socialismo. Em 2002 combatemos pela vitória de Lula contra o PSDB, o PFL/DEM e o PMDB coligados. Rita Camata (PMDB) era vice de Serra.

A coalizão do PT com os partidos burgueses impediu que as reivindicações dos trabalhadores fossem atendidas. Oito anos se passaram e a situação piorou: agora a maioria dos partidos burgueses, inclusive o PMDB está “coligado” ao PT. E, em nome de um “projeto” onde o socialismo é escondido até nos dias de festa, o PT decide apoiar em vários estados governadores de partidos burgueses. Na verdade é um abraço de morte. Esta política conduz à destruição do PT como partido da classe trabalhadora e a dispersão e desmoralização dos militantes.

O caso mais escandaloso é o Maranhão, onde o PT se construiu contra a oligarquia Sarney e, em nome da “aliança”, a decisão soberana dos delegados foi anulada pela Direção Nacional que sagrou o apoio a Roseana Sarney. Mas esta decisão foi tomada pela cúpula nacional do PT também em MG, no RJ, em PE, em Alagoas e em outros estados. Esta é a eleição em que o PT tem o menor numero de candidatos a governos estaduais desde o surgimento do Partido!

Em 2002, o PT teve 23 candidatos a governador. Em 2006, o PT foi reduzido para 17 candidatos a governador e finalmente em 2010 o PT tem só 11 candidatos a governador

Nós não temos dúvidas: acreditamos que é necessário votar no PT, no partido que os trabalhadores construíram contra o capital. Existem os esquerdistas que propõe outras candidaturas. É seu direito. Mas a maioria dos trabalhadores e nós juntos com eles querem uma alternativa para enfrentar e derrotar a direita. Mas, não é possível derrotar a direita votando na direita.

A Esquerda Marxista combate pelo rompimento do PT com os partidos burgueses e por um Governo Socialista dos Trabalhadores que re-estatize o que foi privatizado, que garanta os direitos, a estabilidade no emprego, o fim do fator previdenciário, aposentadoria integral, faça a Reforma Agrária, garanta Educação e Saúde gratuitas e de qualidade, exproprie o grande capital, rompa com o imperialismo e abra caminho para o socialismo. Este, a nosso ver, é o caminho em direção a “conquista do poder político pelo proletariado”.

Votamos PT. Votamos Dilma, PT, contra a burguesia. Mas não votamos nem fazemos campanha para qualquer candidato burguês, independente de haver ou não coligação para governos estaduais ou senado. Junto com nossos companheiros no Maranhão votamos Flavio Dino (PCdoB) e votamos nulo (apertando a tecla 13) em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Alagoas e em todos os estados em que se apresentam apenas candidatos burgueses nas eleições majoritárias.

Votamos nos candidatos a senador do PT, mas não votamos em senadores de partidos burgueses. Com isso estamos ajudando a classe trabalhadora a discernir quem são seus inimigos, a defender a independência de classe, a se reagrupar e a continuar a luta pelo socialismo.

Esquerda Marxista
contato@marxismo.org.br - www.marxismo.org.br - F: (11) 3101-8810

Um comentário:

  1. O unico problema é quando se vota 13 está também votando nos burgueses!

    ResponderExcluir